Bem-vindo ao Cambodja

O Reino do Cambodja, que faz fronteira com a Tailândia, Laos e Vietname, tem sentido uma afluência turística nas últimas duas décadas. O país já foi poderoso e rico aquando o Império Khmer prosperava. O Hinduísmo e o Budismo foram amplamente difundidos, muitos templos construídos, incluindo o famoso Angkor Wat. Este é conhecido como o período Angkoriano.

Após a queda de Angkor, o controlo da França e a Guerra do Vietname, o Cambodja entrou nos dias mais sombrios da sua história. Em 1975, o Khmer Vermelho assumiu o poder, levando a cabo um genocídio até 1979. Nessa época, o país chamava-se Kampuchea. Muitas pessoas foram forçadas a ir para as áreas rurais, trabalhando duro na agricultura. Templos, bibliotecas e qualquer acesso à cultura foi destruído. Após a derrota do Khmer Vermelho, a monarquia foi restaurada e o país é o que conhecemos hoje.

O Cambodja, tem muito mais para ver do que os templos de Angkor. No entanto, é inegável ​​que estes são o cartão de visita do país. A caótica capital está a estabelecer uma nova e revitalizada cidade. As áreas rurais são obrigatórias, para ter contato com um Cambodja mais pobre e humilde. E não há outro lugar para relaxar como as ilhas, com as suas aldeias piscatórias.
A Reserva da Biosfera Tonle Sap, classificada pela UNESCO, compreende muitas espécies de mamíferos, pássaros, peixes de água doce, peixes marinhos e árvores. No interior, as Montanhas Cardamom têm imensa biodiversidade, lar de animais selvagens e um destino de ecoturismo emergente. Apesar destes fatos, a desflorestação é das piores do mundo.

O turismo trouxe pessoas e dinheiro para o país. Lembranças produzidas localmente, como o krama (cachecol tradicional), esculturas em madeira, trabalhos em prata, garrafas pintadas com vinho de arroz, sabão, velas, temperos e cerâmicas, empregam inúmeras pessoas. A dança clássica Khmer está de volta, com os bailarinos Khmer Apsara. Os cambodjanos comem muito arroz e peixe. Frutas, sopas e noodles fazem parte da culinária. A influência francesa está presente no pão, a famosa baguette. O povo do Cambodja há muito que é lutador, talvez o país ainda esteja a tentar reerguer-se das cinzas. No entanto, não é de admirar que este pequeno país asiático fique no coração.

Ler Mais
Informação Geral

Saber Mais

O nosso guia de viagem do Cambodja ajudá-lo-á a planear a sua viagem. Antes de partir, aqui estão algumas diretrizes simples para facilitar a aventura.

Capital: Phnom Penh

Língua: Khmer

Fuso Horário: UTC+7

Moeda: Riel

Fronteiras: Tailândia, Laos & Vietname

Como na maioria dos países vizinhos, no Cambodja é fácil obter um cartão SIM. Existem muitos fornecedores, Cellcard/Mobitel, Beeline, Mfone, entre outros.
A rede é boa, quase em todo o país. No entanto, as marcas têm cobertura e taxas diferentes. As pessoas locais geralmente têm mais do que um cartão SIM. É claro que para os turistas, essa não é a melhor opção.
A Cellcard é a mais escolhida entre os turistas. Nas suas lojas têm funcionários que falam inglês, oferecem bons preços e pacotes de dados móveis. Uma das escolhas é adquirir um cartão de pagamento conforme o uso.
Para obter o cartão, basta dirigir-se à loja oficial da marca ou a uma das muitas lojas na cidade, que vendem. Nesta última opção pode ser cobradas mais taxas do que o esperado.

Embora o Cambodja seja um dos países mais pobres da região, no geral, é seguro. O crime mais comum é o de pequenos roubos. Golpes relacionados ao aluguer de motos e aos serviços de tuk-tuk estão amplamente disseminados.
A polícia normalmente não ajuda. A corrupção é um problema; provavelmente irão pedir dinheiro. Crimes violentos são raros. No entanto, isso pode acontecer, portanto, fique alerta.
Use o seu instinto para não cair em esquemas. Não beba demasiado, não fique nas ruas até tarde, especialmente em alguns locais, como Phnom Penh. Primeiro pense, se não o faz em casa, não o faça no Cambodja.

A falta de instalações de tratamento médico, falta de saneamento e a presença de doenças tropicais é uma preocupação. Clínicas razoáveis ​​podem ser encontradas em Siem Reap e na capital.
Nas grandes cidades, existe um grande número de farmácias. Geralmente, não precisa de receita médica para comprar. Muitos medicamentos já expiraram a validade, verifique sempre a data.

Quanto à água da torneira, não é seguro beber. Cuidado com o gelo também. As bebidas quentes são feitas de água fervida, portanto, sem problema.
Tenha cautela com o que come, especialmente nas áreas rurais. Legumes e frutas devem ser lavados, não comer carne mal cozida e ser prudente com os frutos do mar.
Podem ocorrer picadas de insetos. Na maioria dos locais rurais, a malária e o dengue também podem acontecem. Procure orientação médica para vacinas e medicamentos antes de partir. Sanguessugas estão escondidas nas florestas tropicais; agarram-se na pele e sugam o sangue. Para evitar isto basta usar um pouco de sal.
Apesar destas medidas serem importantes, nada melhor que um bom seguro de viagem. Nunca se sabe o que vai acontecer, mais vale prevenir.

O Cambodja possui apenas 2 tipos de vistos: o visto de turista e o visto de negócios. À entrada, após o pagamento da taxa, os turistas têm 30 dias no país. Entrar no país é simples. O visto pode ser obtido na entrada por terra ou num dos aeroportos. Custava 30$ (para o visto de turista, em 2017). Se preferir, pode fazê-lo online, mas isso custará mais (37$-7$/34€-6€ para a taxa de processamento).

Para o visto à chegada, só precisa de um passaporte válido, duas fotos e dólares americanos para o pagamento. Na travessia terrestre, geralmente, tentam cobrar mais dinheiro, esteja atento.

 

Cambodja 1
Atracções

Melhores Experiências

Melhores Experiências

Cambodja 2
Siem Reap
Sendo uma porta de entrada para o Angkor Wat, Siem Reap, não é apenas isso. Possui um grande número de restaurantes, cafés, bares, mercados e vida noturna. Experimente a vida local nas aldeias vizinhas, especialmente nas aldeias flutuantes do lago Tonlé Sap.
Cambodja 3
Phnom Penh
A capital é caótica, com ruas poeirentas, às vezes poucas seguras. Phnom Penh tem uma história sombria para contar, com a prisão de Tuol Sleng e o Museu Nacional. No entanto, o futuro parece promissor com uma renovada beira-rio, hotéis modernos e restaurantes hedonistas.
Cambodja 4
Battambang
Battambang é uma cidade da era colonial, a mais bem preservada do Cambodja. Não é tão turístico (por enquanto), aqui pode-se aventurar no comboio de bambu. Rica em patrimônio arquitetônico, com cafés e galerias de arte. Rodeada por uma paisagem deslumbrante, Battambang é um lugar encantador para descansar das multidões.
Cambodja 5
Kampot Province
Kampot é conhecida pelas suas plantações de pimenta e campos de sal. O legado colonial francês está em toda parte e vale a pena explorar. Aproveite o Parque Nacional Preah Monivong, vá a Koh Tonsay (Ilha dos Coelhos), faça paddleboard ou kayaking no rio, aproveite a bicicleta e descubra o mercado de caranguejos de Kep.
Cambodja 6
The Islands
Até recentemente, as ilhas do Cambodja foram pouco visitadas. São o refúgio perfeito para uma serenidade que não encontra no continente. As praias de Koh Rong contrastam com as florestas densas do interior da ilha. Koh Rong Samloem, é a verdadeira ilha paradisíaca. Koh Ta Kiev não tão visitada, mas com praias fantásticas e intocadas. Koh Totang é a menos desenvolvida e inalterada.
Cambodja 2
Siem Reap
Sendo uma porta de entrada para o Angkor Wat, Siem Reap, não é apenas isso. Possui um grande número de restaurantes, cafés, bares, mercados e vida noturna. Experimente a vida local nas aldeias vizinhas, especialmente nas aldeias flutuantes do lago Tonlé Sap.
Cambodja 3
Phnom Penh
A capital é caótica, com ruas poeirentas, às vezes poucas seguras. Phnom Penh tem uma história sombria para contar, com a prisão de Tuol Sleng e o Museu Nacional. No entanto, o futuro parece promissor com uma renovada beira-rio, hotéis modernos e restaurantes hedonistas.
Cambodja 4
Battambang
Battambang é uma cidade da era colonial, a mais bem preservada do Cambodja. Não é tão turístico (por enquanto), aqui pode-se aventurar no comboio de bambu. Rica em patrimônio arquitetônico, com cafés e galerias de arte. Rodeada por uma paisagem deslumbrante, Battambang é um lugar encantador para descansar das multidões.
Cambodja 5
Kampot Province
Kampot é conhecida pelas suas plantações de pimenta e campos de sal. O legado colonial francês está em toda parte e vale a pena explorar. Aproveite o Parque Nacional Preah Monivong, vá a Koh Tonsay (Ilha dos Coelhos), faça paddleboard ou kayaking no rio, aproveite a bicicleta e descubra o mercado de caranguejos de Kep.
Cambodja 6
The Islands
Até recentemente, as ilhas do Cambodja foram pouco visitadas. São o refúgio perfeito para uma serenidade que não encontra no continente. As praias de Koh Rong contrastam com as florestas densas do interior da ilha. Koh Rong Samloem, é a verdadeira ilha paradisíaca. Koh Ta Kiev não tão visitada, mas com praias fantásticas e intocadas. Koh Totang é a menos desenvolvida e inalterada.
Transportes

Como Se Deslocar

O Cambodja tem uma boa redes de transportes, embora em menor escala que alguns dos países vizinhos. O país possui três aeroportos internacionais, um na capital, um em Siem Reap e o aeroporto de Sihanouk (Sihanoukville). Muitas companhias aéreas têm vôos regulares para o país.

As estradas não são as melhores. Existem muitos acidentes, sendo a taxa de mortalidade elevada. É aconselhável não viajar à noite. O número de veículos nas estradas tem vindo a aumentar, o que significa mais tráfego, especialmente em locais turísticos.

Photo by Akara Yoth Tat
  • Voos

Para entrar no Cambodja, a maneira mais simples e rápida é de avião. Os principais aeroportos são: o da capital Phnom Penh, Siem Reap e Sihanouk (Sihanoukville). Várias companhias aéreas internacionais operam no país. Normalmente de países vizinhos.

Nos próximos anos, mais companhias aéreas abrirão voos para o Cambodja, devido à enorme demanda turística.

  • Barcos

É possível entrar no país de barco. Mas, apenas pelo Vietname. O rio Mekong conecta os dois países. A travessia existe nos dois sentidos. O ponto de chegada é a capital, Phnom Penh. Verifique o trajeto antes de partir.

  • Travessia por terra

Chegar ao Cambodja por travessia por terra é o mais comum. Poderá atravessar a fronteira da Tailândia, Laos ou Vietname. Diversas companhias de autocarro realizam o trajeto para o país.

Alojamento

Onde Ficar

O Cambodja pode ser surpreendente, pois as acomodações em alguns locais como Siem Reap e Phnom Penh são luxuosas. Aqui existem bons hotéis com ótimos serviços a um preço justo. Os hotéis mais pequenos (boutique hotel) são cada vez mais numerosos, mas a um preço elevado, entre 50$/70$-45 €/63 € por noite.
As guesthouses são uma opção mais económica. Estes locais são geridos por famílias cambodjanas. Alguns deles não têm água quente nem um quarto básico. Lembre-se, recebe o que paga.
Os hostels são abundantes no Cambodja, alguns com Wi-Fi gratuito e pequeno-almoço incluído. Às vezes, o preço não é o melhor, e poderá ficar numa guesthouse com um quarto privado pelo mesmo preço que um dormitório. Para negociar o preço basta aparecer no local.

As homestays geralmente podem ser encontradas nas províncias. Isso envolve ficar com uma família numa pequena vila. Desta maneira, terá a experiência da vida quotidiana local em instalações rústicas. Todo o dinheiro gasto aqui é para apoiar a comunidade local.
No Cambodja, também é possível usar o Airbnb para alugar um apartamento ou casa inteira. Espere pagar cerca de 30$/27€ por noite. Deve reservar com antecedência, principalmente durante feriados, como o Ano Novo Khmer, em abril. As tarifas dos quartos serão razoáveis ​​na maioria das áreas. Apenas nos locais pequenos, podem ser mais elevadas.

De qualquer forma, os preços dos quartos continuarão a subir devido ao custo de vida no país. Para obter melhores tarifas, basta reservar antes de ir. Para isso, pode usar a nossa caixa de reserva afiliada do Booking.

Destinos

Quando Visitar o Cambodja

A melhor época para visitar o Cambodja é entre Dezembro e Abril, quando a chuva é em pouca quantidade, o céu azul e a temperatura mantém-se. Esta é também a época temporada. De Maio a Setembro, é altura das monções, sendo que a chuva e temperaturas altas são constante. Em Outubro e Novembro, as monções terminaram, o clima é agradável e seco, e por isso é a época intermédia para visitar o país.

Meses
Janeiro
Fevereiro
Março
Abril
Maio
Junho
Julho
Agosto
Setembro
Outubro
Novembro
Dezembro
Época Baixa
Época Intermédia
Época Alta
Preços
O mais barato
Barato
Caro
Clima
Quente e Chuvoso
Ameno e Seco
Quente e Seco
Multidões
Pouca
Moderada
Muita
Época Baixa
Preços
O mais barato
Clima
Quente e Chuvoso
Multidões
Pouca
Época Intermédia
Preços
Barato
Clima
Ameno e Seco
Multidões
Moderada
Época Alta
Preços
Caro
Clima
Quente e Seco
Multidões
Muita

Melhores meses para visitar o Cambodja

Dezembro até Abril
- Pouco chuvoso
- Céus azuis
- Menos multidões
- A temperatura permanece amena

Estratégia

Planear a Viagem

Pode facilmente planear a sua próxima viagem com as ferramentas abaixo. São links afiliados. Ao usá-los, está a ajudar-nos, sem nenhum custo adicional, a continuar o nosso trabalho.

Voos para Cambodja

Obtenha aqui o seu voo ao melhor preço!

Hotéis no Cambodja

Encontre o melhor alojamento para si.

Seguro de Viagem

Porque acidentes podem acontecer! Previna-se!

Tours no Cambodja

As melhores actividades e tours para a sua viagem.

Alugar um carro

Uma boa maneira de explorar o Cambodja.
Artigos

Posts do Cambodja

Roteiro de Viagem pelas Filipinas - 21 Dias na Terra das Ilhas Encantadas
O Que Visitar em Melgaço - Guia e Pontos de Interesse
Guia para visitar Bragança - locais a não perder
O Que Visitar em Budapeste – Roteiro de Viagem
dots-bigger
Viajar Mais

Precisa de ajuda com a sua viagem?

Diz-nos em que podemos ajudar e entraremos em contacto para ajudar com dicas ou aconselhamento personalizado.

Travel more

Do you need help with your travel?

Let us know how can we help and we will get in touch with you.